ONU quer mais equipas de refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) está em contacto com o Comité Olímpico Internacional (COI) para que os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, contem com uma equipa de refugiados.

A edição do Rio de Janeiro foi a primeira a ter uma delegação de refugiados entre os competidores.

Todos os atletas da equipa tiveram que deixar os seus países devido a conflitos, perseguições e violações dos direitos humanos e encontraram refúgio na Alemanha, Bélgica, no Brasil, no Luxemburgo e no Quénia.

A equipa foi composta por dez refugiados de quatro países, sendo dois nadadores sírios, dois judocas da República Democrática do Congo e seis corredores africanos – um da Etiópia e cinco do Sudão do Sul.

Relacionados

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.